Ambliopia

Ambliopia

Olho preguiçoso, ou ambliopia, é um desvio ou desalinhamento de um olho, acompanhado de baixa acuidade visual, causada por alterações que prejudicam o desenvolvimento correto da visão. Esse dano visual, geralmente está associado a outros problemas oculares, como: estrabismo, catarata congênita ou ametropias (miopia, hipermetropia, astigmatismo).

A ambliopia geralmente se desenvolve até os 7 anos de idade e é a principal causa de diminuição da visão em crianças. Raramente, o olho preguiçoso afeta os dois olhos. O diagnóstico e o tratamento precoces podem ajudar a prevenir problemas de visão a longo prazo.

Sintomas

Os sinais e sintomas de ambliopia podem ser difíceis de serem percebidos. Pacientes com esse quadro costumam ter pouca percepção de profundidade (dificuldade em saber o quão perto ou longe algo está). Além disso, existem outros sinais como fechar um dos olhos, ou inclinar a cabeça, para enxergar melhor. Outra situação é a impressão de que os olhos do paciente parecem não funcionar juntos.

É importante saber que, em muitos casos, os pais não sabem que seu filho tem olho preguiçoso até que um médico o diagnostique. Por isso, mantenha sempre os check-ups oftalmológicos em dia.

Causas

O olho preguiçoso se desenvolve devido a uma experiência visual anormal no início da vida. Existem três tipos comuns de olhos preguiçosos:

 Ambliopia Refracional

Ambliopia por estrabismo: o estrabismo é a causa mais comum para o olho preguiçoso. Aqui, o cérebro tenta evitar a visão dupla (provocada pelo desalinhamento dos olhos) ignorando as informações processadas pelo olho desviado, levando à ambliopia deste.

Ambliopia por anisometropia: às vezes, um olho preguiçoso é causado por erros de refração desiguais. Um olho, por exemplo, pode ter uma alta hipermetropia, enquanto o outro possui um grau menor ou inexistente. Nesses casos, o cérebro confia no olho que possui menor erro de refração, e ignora a visão turva do outro. A visão no olho que foi “bloqueado” não se desenvolve, ocasionando a ambliopia.

Ambliopia por privação: é causada por algo, ou alguma coisa, que impede a entrada de luz no olho do bebê, comprometendo a sua visão. É o caso da catarata congênita, por exemplo. O tratamento imediato desse quadro é essencial para permitir o desenvolvimento visual normal da criança e impedir o surgimento do olho preguiçoso.


Fatores de risco

Ambliopia por Privação

Alguns pacientes nascem com ambliopia, outros a desenvolvem mais tarde na infância. As chances de se ter olho preguiçoso são maiores em crianças que:

  • Nasceram prematuras;
  • Eram menores que a média quando nasceram;
  • Têm histórico familiar de ambliopia, catarata infantil ou outras condições oculares;
  • Têm deficiências de desenvolvimento.

Complicações

O olho preguiçoso não tratado pode causar perda permanente da visão.

Diagnóstico

O diagnóstico da ambliopia é efetuado através da avaliação da acuidade visual pelo médico oftalmologista, pelo exame de fundo ocular e eventuais exames complementares de diagnóstico.

Tratamento

É importante começar o tratamento o mais cedo possível na infância, quando as complicadas conexões entre o olho e o cérebro estão se formando. Os melhores resultados ocorrem quando o tratamento começa antes dos 7 anos, embora metade das crianças com idades entre 7 e 17 anos responda ao tratamento.

Se a ambliopia for causada por algum problema de visão, o indicado é tratá-lo primeiro. O próximo passo é treinar novamente o cérebro e forçá-lo a usar o olho mais fraco. Quanto mais o cérebro o usa, mais forte ele fica. Os tratamentos incluem:

Óculos corretivos: Óculos ou lentes de contato podem corrigir problemas como miopia, hipermetropia ou astigmatismo que resultam em olho preguiçoso.

Tapa Olho

Tapa-olhos: Para estimular o olho mais fraco, a criança usa um tapa-olho sobre o olho com melhor visão algumas horas por dia.

Colírio: Um colírio composto por atropina pode turvar temporariamente a visão do olho mais forte. O uso do colírio incentiva o uso do olho mais fraco e oferece uma alternativa ao adesivo. Os efeitos colaterais incluem sensibilidade à luz e irritação nos olhos.

Cirurgia: O paciente pode precisar de cirurgia em casos de pálpebras caídas ou catarata que causam ambliopia por privação. Se os olhos da criança continuarem a cruzar ou afastar-se com os óculos apropriados, o médico pode recomendar um reparo cirúrgico para endireitar os olhos, além de outros tratamentos complementares.

Tratamentos complementares baseados em atividades como desenhar, fazer quebra-cabeças ou brincar com jogos de computador estão disponíveis.

Para a maioria das crianças com olho preguiçoso, o tratamento adequado melhora a visão em semanas ou meses. O tratamento pode durar de seis meses a dois anos.

O que você pode fazer

Elabore uma lista de informações:

  • Sintomas, incluindo aqueles que podem parecer não relacionados ao motivo pelo qual você agendou a consulta e quando você os notou.
  • Todos os medicamentos, vitaminas e suplementos que seu filho toma, incluindo doses.
  • Informações médicas importantes, incluindo outras condições ou alergias que seu filho tem.
  • Seu histórico familiar de problemas oculares, como olho preguiçoso, catarata ou glaucoma.

Perguntas para fazer ao seu médico

  • Qual é a causa provável do olho preguiçoso do meu filho?
  • Existe outro diagnóstico possível?
  • Quais opções de tratamento provavelmente ajudarão meu filho?
  • Quanta melhora podemos esperar com o tratamento?
  • Meu filho corre o risco de outras complicações decorrentes dessa condição?
  • É provável que esta condição volte após o tratamento?
  • Com que frequência meu filho deve ser visto nas consultas de acompanhamento?

O que esperar do seu médico

É provável que seu médico faça perguntas, como:

  • Seu filho parece ter problemas para enxergar?
  • Os olhos do seu filho parecem cruzar ou vagar?
  • Seu filho segura as coisas perto para vê-los?
  • Seu filho aperta os olhos?
  • Você notou alguma coisa incomum na visão de seu filho?
  • Os olhos do seu filho foram feridos?
Open chat