Herpes Ocular

O herpes ocular é uma infeção no olho geralmente causada pelo vírus herpes do tipo 1. Este vírus é também o responsável pelo herpes labial que é bastante frequente na população mundial.

Existem dois tipos principais de vírus:
O tipo I que é o mais comum e infecta principalmente o rosto, causando a conhecida “afta” ou “bolha de febre”.
O tipo II é a forma sexualmente transmissível de herpes, infectando os órgãos genitais.

Embora os herpes tipo I e tipo II possam se espalhar para os olhos e causar infecção, o tipo I é de longe a causa mais frequente desta infecção ocular. A infecção pode ser transferida para o olho ao se tocar uma lesão ativa e depois tocar no outro olho. É rara a transferência do tipo II para os olhos.

Tipos

O tipo mais comum de herpes ocular é denominado ceratite epitelial. Afeta a córnea, que é a parte frontal transparente do olho. A apresentação da doença pode variar desde infeções que se resolvem com relativa facilidade até complicações graves que podem, em último caso, conduzir à cegueira.

• A ceratite herpética é a forma mais comum do herpes ocular que se manifesta como uma infeção da córnea. O herpes ocular nesta forma, geralmente, afeta apenas a camada superficial ou epitélio da córnea e geralmente é tratado sem complicações apesar de ser uma situação que pode ser bastante dolorosa.
• Outra forma de herpes nos olhos é a ceratite estromal ou intersticial que ocorre quando a infeção se localiza nas camadas mais profundas da córnea. Isso pode levar à formação de cicatrizes, perda de visão e, ocasionalmente, o doente pode ficar cego. A ceratite estromal pode ser causada por uma resposta imunitária tardia à infeção primária. Embora esta condição seja rara, a ceratite estromal é uma situação potencialmente grave.
• A Iridociclite é uma forma grave de herpes ocular, na qual a íris e tecidos circundantes inflamam, causando sensibilidade grave à luz, visão turva ou “embaçada”, dor e olhos vermelhos. A Iridociclite é um tipo de uveíte que afeta as zonas mais anteriores do olho.

O diagnóstico de herpes ocular é efetuado pelo médico oftalmologista através da avaliação clínica e com o auxílio de eventuais exames complementares de diagnóstico.

Sintomas

  • Os sintomas de herpes ocular podem variar, tendo em conta as partes do olho afetadas e a evolução da doença, mas geralmente se apresentam da seguinte forma:
  • Dor ocular que pode variar de moderada a forte ou intensa
  • Olhos vermelhos
  • Sensibilidade à luz
  • Olhos lacrimejantes
  • Visão turva ou visão embaçada
  • Edema ou olhos inchados
  • Ardor ou sensação de corpo estranho nos olhos

Em algumas situações podem ocorrer erupções cutâneas ao redor das pálpebras (mas não em todos os casos) e geralmente afeta apenas um olho.

Tratamento

O tratamento depende de sua gravidade. A infecção leve é geralmente tratada com medicação antiviral tópica e às vezes oral. Seu oftalmologista pode raspar suavemente a área afetada da córnea para remover as células doentes. Em caso de cicatrizes graves e perda de visão, pode ser necessário um transplante de córnea.

É muito importante consultar um oftalmologista antes de iniciar qualquer tratamento, pois alguns medicamentos ou colírios podem piorar a infecção.

Não há cura completa para o herpes; uma vez que o vírus está no corpo, você não consegue se livrar dele. No entanto, algumas atitudes podem ajudar a prevenir surtos recorrentes:

  • Se você tiver uma afta ou bolha ativa, evite tocar em seus olhos.
  • Os colírios de esteróides podem aumentar o vírus do herpes no corpo.
  • Pare de usar lentes de contato se continuar pegando infecções.
  • Consulte um oftalmologista imediatamente se os sintomas de herpes ocular retornarem.
Open chat